quarta-feira, outubro 20

silêncio

a sala de professores desta minha escola, na maior dos dias e dos momentos e independentemente da quantidade de gente que por aqui circula, mais parece uma planície alentejana do que uma sala de convívio.
Predomina o silencio, o sussurrar de palvras, quase que uma brincadeira de esconde-esconde para ver se não me ouvem.
De quando enquando procuro despertar algum ânimo, mas sou olhado como um irriquieto, reguila.

5 comentários:

Cosmic Men disse...

A vida de professor é mesmo lixada...

José Gustavo Teixeira disse...

O que é uma sala de professores, para que serve? O Manuel Dinis fala dela como uma sala de convívio - e não há dúvida de que também serve para isso. É um open space à dimensão da escola, uma placa giratória entre aulas... ou outra coisa? (Vou dizer uma coisa terrível) Às vezes penso que a sala de professores - onde se trabalha muito - também funciona como um convite à indolência (não é uma generalização). A minha blague preferida, entre colegas, costuma ser eu dizer que tenho uma proposta para acabar com a sala de professores. Se eu mandasse fazia ali uns gabinetes de trabalho... depois do bar, claro... onde se poderia sempre tomar um café com o colega do Departamento do lado.

Miguel Pinto disse...

Convém não desprezar os fenómenos micro-políticos que sempre tomaram conta da sala de professores, Gustavo.
Eis um bom tema de reflexão, Manel.

José Gustavo Teixeira disse...

Quando fala de fenómenos de "micro-política" presumo que se refere a uma espécie de geo-política à escala da sala de professores; nós somos percebidos pelo grupo também em função da nossa posição relativa em face da totalidade dos elementos que o integram. Há, de facto, uma geografia da sala de professores; os lugares definem alinhamentos e a partir do momento em que lá estamos não é fácil fugir a isso. A única forma será talvez estar permanentemente em trânsito, mas isso é muito cansativo e nem sempre é materialmente possível. Mas a ideia de acabar com a sala de professores é mesmo a minha blague preferida e não desisto dela facilmente. Tento manter sempre o sentido de humor.

Anónimo disse...

Pois a minha é totalmente diferente!Parece mais um gabinete de trabalho onde se encontram os vários professores das várias disciplinas a falar e a comentar o que está a correr bem ou mal na escola e posso dizer-te que é nesta sala que saem muitas vezes as grandes orientações de trabalho para as actividades que decorrem na escola.Por isso, espero que nimguém se lembre de tirar a sala dos professores, uma sala de convivio e trabalho.Arte por um Canudo